História de Imaculada Conceição, cultuada pela Cuiabania

Entre as mil faces da Virgem Maria, Cuiabá comemora apenas uma no seu calendário oficial, o dia da Nossa Senhora da Imaculada Conceição, celebrado hoje (8). O dogma católico é tradição forte da cuiabania, mas poucos conhecem sua história e de como chegou aqui, confundindo ela até como padroeira da cidade – o que para alguns é, o que para outros não é. Apesar do desagrado de setores da sociedade, a data é considerada feriado municipal.

Segundo o padre Felisberto Samoel da Cruz, da Cúria Metropolitana, a Imaculada Conceição é uma das representações de Maria, mãe de Jesus Cristo. “Ela é apresentada de forma diferente para cada região e para cada necessidade”, diz. Por exemplo, Nossa Senhora Aparecida que concede graças e milagres, Nossa Senhora de Guadalupe, que apareceu em socorro para índios perseguidos e mortos no México ou Nossa Senhora do Livramento que livra os fiéis do mal.

 

Mas, no dia 8 de dezembro em específico, é comemorado o dogma de que Maria nasceu sem o pecado original. “Para ser a mãe do Salvador, ela teria que ser pura, sem manchas, sem maldade, perfeita em todos os sentidos de ser. Então, a Igreja prega – e eu acredito nisso – que, como ela não teve que dormir com um homem para gerar Jesus, ela tornou-se imaculada”, pontua o padre Felisberto.

 

Fonte:

Allan Pereira

Rodinei Crescêncio

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *